Todas as maravilhas de que precisas estão dentro de ti. A primeira e pior de todas as fraudes é enganar-se a si mesmo. Depois disto, todo o pecado é fácil.

18
Jul 08

Este calor infernal que me tira o sossego e que deixa inquieta.
Sem roupa livre de qualquer artifício caminho pela casa parecendo um zumbi.
A meio do caminho cruzo-me com um espelho grande e antigo que está sempre no mesmo lugar dia após dia, ano após ano...
É "velho", sim é" velho" mas não está morto, muito pelo contrário... Este espelho tem mil histórias para contar.
Olhamo-nos como "velhos" amigos, e parece que me sorri como quem me convida a parar um bocadinho para conversar... Este "velho" espelho tem vida e como todos os “velhos” tem percurso conhecimento e guarda tanta “sabedoria” acumulada ao longo do tempo e necessita de atenção. Chega-te aqui... Estou louca? Os espelhos não falam...
E de repente vi a a minha avó sorrir, sorrir muito quando se vestia de cinza claro num lindo vestido que seria o do seu casamento, vi também o meu avó, homem austero mas até ele uma vez por outra passava pelo espelho retocava o bigode e sorria.
Curiosamente não me lembro muito bem do meu avó, só por uma foto ou outra...
A minha mãe... Como é (era) bela a minha mãe pronta para dar o passo final e começar a construir a nossa família, o meu pai. Os beijos que deram. Os meus irmãos... A tia São e outras tantas pessoas que por aqui passaram.
 E eu. Como era menina, vestida de branco cheia de sonhos fantasias e ilusões, eu já fui essa miúda cheia de (tudo) e tudo isto o velho espelho viu, e guardou. Aproximo-me e vejo pela primeira vez a minha imagem reflectida no espelho.
Eu, hoje, livre de qualquer artifício, roupa ou preconceito.
Eu tal qual sou. Aproximo-me mais e penso há quanto tempo não reparo em mim, há quanto tempo não me vejo como realmente sou não nua em frente ao espelho penso que eu sou só isto...
Já se passaram um anos, já percorri um caminho composto de tudo. Alegrias, tristeza, lágrimas e muitos sorrisos, amor e desamor, também algum sofrimento. Sonhos, uns realizados outros apenas sonhos... Alimento da vida.
Aproximo-me mais. Analiso o meu corpo. Nada é como dantes, por muito que se queira tapar o sol com a peneira tudo em nós muda não só os sonhos e os objectivos mas também o corpo. Tenho rugas... Não uma nem duas, várias rugas... Sorrio e penso que algumas são de tanto sorrir, rugas de expressão. Os fios de cabelo branco que teimam em aparecer e eu teimosamente escondo. Os braços, o peito, reparo numa estria que teima em ficar mais visível com o tempo. Marcas de um dos momentos mais felizes da minha vida, ser mãe é um privilegio as rugas todas elas são historia de vida. Olho-me e gosto de mim porque me aceito e sou bonita. Dizem que é assim isto de viver.Não tenho medo de envelhecer mas tenho medo de ficar "velha".
Toco no meu “velho” espelho e penso, que rica é a sua história e tão cheia de memórias... Porque parei para o “ouvir” falar das suas memórias recordei, porque o olhei com olhos de ver, aprendi e descobri...
Tem um valor inestimável este “velho” espelho. Faz parte da minha vida e sempre me acompanhou nos momentos bons e nos maus.

Quando preciso de chorar e de me olhar e encontrar forças sei que ele está ali, pronto para me ouvir. Em silêncio sem recriminações.
Se já pensei em pô-lo no sótão? talvez... Afinal também sou humana e tenho falhas.
Está velho, constantemente precisa de restauro, a moldura em madeira antiga precisa de mais atenção e um tratamento especial. O envelhecimento pode ser entendido como um processo múltiplo e complexo ao longo do percurso da nossa vida.
Influenciado pela integração de factores sociais e comportamentais. A ideia pré-concebida sobre a "velhice" aponta para uma etapa da vida que pode ser caracterizada, entre outros aspectos, pela decadência física e ausência de papéis sociais
"velho" é a fonte de sabedoria mais próxima de qualquer ser humano, com sua grande experiência de vida profissional, social, emocional, psicológica, comportamental possibilita aos mais jovens oportunidades de compartilhamento de saber com um nível considerável de qualidade de informação

""-Pai, prepara-te vamos dar uma volta de carro.
Depois de percorridos vários km de serra sem trocarem palavra, o filho para o carro e olha o pai.
-Filho, se não te importas anda mais um bocadinho e deixa-me na próxima curva, pois foi onde deixei o teu avô!!!""

 Rugas envelhecimento...Há qualquer coisa de injusto em tudo isto
Porque os meus olhos são da mesma idade.

  

publicado por Divine às 10:14

Divine.
E agora? Pensaste por ventura um pouco em mim que te estimo, quando, desnuda, em frente ao velho espelho te revelaste o ser ainda jovem e belo com quem discuto alguma da sabedoria?
Acredito que pensaste em todos os teus velhos amigos, conhecidos que de algum modo te consubstanciam em valor e virtudes de pessoa, porque te permitem reflectir de ti a tua essência.
Isto para dizer que é uma prática que também uso, inquirir de mim, como se me colocasse em discussão, me travasse de razões. Porque não foste por ali?
Estás velho, digo-lhe, à imagem do outro de mim. E no entanto os teus olhos ainda brilham na penumbra.
Imagino que te questionas sobre o ser e o não ser de ti ainda jovem. As velhas estrias como marcas indeléveis do supremo bem, de serem sugados os mamilos pelo fruto eterno, carregadas de ternura. Um fio branco no cabelo e outro ali, a dar-lhe um tom de belo encantamento.
O corpo fresco, viçoso, capaz de outras tantas caminhadas. Foi amado. foi tido, amou e teve. E é esta reflexão de nós que nos redimensiona a vida, que nos reorienta, ou confirma a rota.
Foi um momento bom ver-te em frente ao velho espelho, desnuda, com orgulho e sem preconceitos. E ver ainda os outros de nós que nos marcaram. Que foram decisivos de nós em alguns momentos.
Beijos e um dia bom
samueldabo a 18 de Julho de 2008 às 11:07

O calor afecta-me bastante as ideias oo ponte de bloqueio:)
Pensei em mim no que fui e no que sou..
Pensei nos meus de onde venho e porque sou quem sou com esta forma de estar ser e pensar
Pensei nos meus amigos nos conhecidos nas pessoas que conheço e até nos que não conheço
Pensei que entendo os motivos porque normalmente é mais interessante e proveitoso trocar ideias com pessoas com mais idade.
Pensei no tempo que passou no que vivi e no que ainda quero viver..
Pensei em como tudo isto passa rápido e enquanto somos mesquinhos e valorizamos coisas tão mínimas.
Pensei principalmente que uma sociedade que está a perder um dos valores fundamentais que é a família e os seus “velhos” é uma sociedade podre e falida
Os anos passam por todos nós , e amanha o meu cabelo vai estar mais branco
As minhas rugas vão ser mais profundas
As minhas estrias mais evidentes
É a lei da gravidade....
Viver é isto mesmo, mal de quem nunca chega a ver as suas mazelas...

Beijo
Divine a 18 de Julho de 2008 às 15:09

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10

13
14
15
19

20
22
25
26

29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Arquivo Morto
2012

2011

2010

2009

2008

comentários recentes
Olá, será que me consegue explicar porque que é pe...
Olá Paula gostei muito de ler este post.Beijinhos ...
Olá doce amiga.Há um diálogo constante, dentro de ...
Divine.Em qual traseira bateu o destravadopor ment...
Divine.Que bem me sinto neste lugar! No meio da te...
E que triste que deve ser, não é? :)
Há quem viva para sempre na escuridão, sem nunca c...
Não chateias nada e existem pormenores com muita i...
Muito bom post. Muito Murakami também.Não queria c...
Divinevisita o meu blogs e se possível lê "Festa"...
eu e algo mais!!
pesquisar
 
blogs SAPO