Todas as maravilhas de que precisas estão dentro de ti. A primeira e pior de todas as fraudes é enganar-se a si mesmo. Depois disto, todo o pecado é fácil.

12
Jul 08

Estou a escrever estas palavras e a pensar num filme que acabei de ver onde um velho frágil que se dirige a um barco que está preste a partir.
O tempo é escasso, mas a marcha é vagarosa e a cada passo os tornozelos claudicam, o cabelo é branco; o casaco está gasto.
Chove sem parar e o vento obriga-o a dobrar-se ligeiramente, como um arbusto solitário em campo aberto.
Finalmente chega ao barco. Sobe com dificuldade o degrau alto que dá acesso à prancha de embarque e inicia a descida para o convés, receoso de ganhar demasiada velocidade na rampa. Olhando com rapidez para a esquerda e para a direita, enquanto o seu corpo inteiro parece perguntar:
Estou no sítio certo?
E agora para onde vou?

Nessa altura os dois marinheiros que se encontravam no convés ajudam-no a firmar o último passo, conduzem-no para a cabine com gestos amigáveis e ele está, finalmente, em segurança.

A minha preocupação acaba. O barco parte. Eu sei que é um filme, estudado e com tudo planeado.  

Deixo agora que a minha mente vagueie. ...
Pensei o impensável e considero que, sem consciência, o "meu homem" não podia ter conhecido o seu desconforto e a humilhação.
Sem consciência, os dois no convés não teriam reagido com a mesma simpatia. Sem consciência, eu, não me teria preocupado e nunca teria pensado que um dia poderei estar nas mesmas circunstâncias, caminhando com a mesma dolorosa hesitação e o mesmo desconforto.
A consciência amplifica o impacto destes sentimentos em todos os "personagens,"  desta história, ou seja : No velho nos  marinheiros e em mim . A consciência é , com efeito ,a chave para uma vida examinada, para o melhor e para o pior.
É a certidão que nos permite tudo conhecer sobre a fome, a sede, o sexo,   as lágrimas ,o riso, os murros, e os pontapés, o fluxo de imagens a que chamamos pensamentos, os sentimentos, as palavras, as historias, as crianças, a musica e a poesia ,a felicidade e o êxtase
A consciência no seu plano mais simples é básico ,permitimos reconhecer  o impulso irresistível para conservar a vida e desenvolver um interesse por nós mesmos.
A consciência, no seu plano mais simples ou  elaborado, ajuda-nos a desenvolver um interesse por outros e por nós  mesmos e a cultivar a arte de viver.

Feliz de quem tem consciência e a utiliza..

 

publicado por Divine às 19:00

E feliz daquele que vive em paz com a sua consciência!
Gostei da nova imagem! ;)

Uma beijoca de boa noite, Paula!
Blue Eyes a 12 de Julho de 2008 às 23:12

Todos nós somos mais do que parecemos ao primeiro olhar...
Beijoca Ricardo
Divine a 12 de Julho de 2008 às 23:32

Divine.
Minha querida amiga e o que é a consciência, como se forma, como se afirma na razão do ser que somos?
Temos códigos de conduta, de sobrevivência ,tão antigos, nos genes que em nós frutificam as nossas qualidades. Outros deles intensificam a maldade, igualmente desde o tempo em que a simples visão de um outro nos acobardava ou enfurecia.
A consciência é fruto desta mistura insidiosa que mantemos acesa na matéria de nós. Vamos tentando combater a maldade com a sabedoria, o conhecimento. E aí escolhemos os termos, em consciência de nós. Há muito conhecimento ao nosso alcance. todos sábios. Uns maldosos da condição humanista de ser pessoa. Outros mais próximos do que entendemos ser humanidade. E quem decide somos nós nos genes. Depende do número deles que arregimentámos ao lado que escolhemos. E mesmo durante uma vida podem ocorrer mudanças, mutações, alteração na ordem de grandeza dos genes. Daí que umas vezes somos assim, e outras não.
Beijos
samueldabo a 13 de Julho de 2008 às 02:14

Imagina eu em dualidade comigo própria.. Tenho em mim a maldade e algumas coisas boas.
Vence os princípios e o que fomos recolhendo ao longo da vida.. Por isso mesmo é que a vida é uma aprendizagem tanto do bem como do mal. Nascemos todos iguais mas alguns de nós degeneramos, é dos genes? Ou do meio social onde estamos inseridos e das vivencias?
Também se aprende a ter consciência
Beijo
Divine a 14 de Julho de 2008 às 16:46

Divine.
Do meio social? Das vivências? Mas nós sabemos de tanta gente má, insensível, despótica, oriundas das elites, educadas em colégios exemplares. Meninas educadas por freiras.
E sabemos de gente bondosa, capaz dos maiores feitos altruístas, saídos dos guetos da pobreza, que se realizaram a si próprios num esforço fantástico da vontade.
Sabemos de irmãos educados nos mesmos principios.
Penso que é dessa mistura interna que nos consubstancia como seres completos, uma degeneração genética que recepciona o mesmo de modo diferente e nos impele à acção contrária da que nos foi induzida.
Na apreciação da solidariedade, por exemplo. Eu recebi uma informação, ou formação ética, que devia acudir sempre aos mais fracos, aos mais pobres que eu. E dava a chamada esmola aos cegos que tocavam harmónica pelas ruas de Lisboa e a outros pedintes sem harmónica. Mas quando, já mais homenzinho, lia reportagens que falavam de homens cegos, pedintes, que amealharam fortunas. E ouvia falar de falsos pedintes, aí a minha consciência mudou de rumo. Na hora do pedinte, a indecisão, a razão a questionar-me.
Estás a virar-te para temas complicados, amiga. Ou se calhar foi sempre assim, nós é que não tínhamos reparado.
Beijos

Meu caro

Isto merece uma resposta mais...
O blog esta a baralhar-me o tempo mas prometo que esta não fica sem resposta:)))

Aguarda..
Beijo
Divine a 14 de Julho de 2008 às 17:50

Meu caro ;
Ainda não li em nenhum manual ou ouvi em parte alguma que pessoas oriundas das tais “elites” sejam mais bem formadas ou mais feliz do que aquele que vem de uma família de mais fracos recursos.
Os bons colégios principalmente os religiosos também não é assim tão linear que a educação seja um primor..
Pergunto-me eu ,o que faz a formação e prepara alguém para vida?
Não é de certeza o que está nos manuais. Mas as vivencias e a educação que se aprende em casa... a escola é e tem que ser um complemento não podemos delegar a nossa obrigação de educadores somente à escola e hoje em dia é o que acontece as nossas crianças são “depositadas” na escola porque os pais não tem muito tempo de sobra para se dedicar há arte mais nobre que é criar e educar.

As pessoas não são todas iguais. existem uns com um temperamento mais pacato menos “curiosos “ou aventureiro.
Dois irmãos criados no mesmo seio familiar os pais sabem de certeza a melhor forma de interagir com cada um deles, a descobrir as suas fragilidades (porque todos as temos).
Mas existem casos e casos...
Eu pessoalmente detesto que velho chavão: (não andes com aquela pessoa que não é boa companhia) mas sabemos que por vezes acontece..
E a curiosidade a falta de regras (que existem em todas as camadas sociais) por vezes levam determinadas pessoas a entra por caminhos que quando se dão conta pode ser tarde de mais e o retorno pode ser doloroso.

Mas vamos imaginar umas famílias (que existem centenas...) que vivem em condições miseráveis muitas vezes abaixo do limiar da pobreza.
Um casal pai mãe e dois filhos. A mãe trabalha numa qualquer firma dessas de limpeza que existem as carradas e sai de casa as 5 horas da manha porque pega no serviço as 6 horas o pai por sua vez também é pedreiro e sai cedo.
Mas não sem antes fazer uma ultima recomendação: Não se atrasem para a escola..
Esses dois “miúdos” vão passar o dia sozinhos...
São literalmente abandonados há sua sorte.
Para já não falar que vivem em bairros degradados e até a alimentação é deficiente visto que tem que se virar sozinhos um dia inteiros, juntam-se a outros nas mesmas condições e fazem tudo menos ir para a escola.
São apenas crianças. e vão crescendo assim e uns com os outros vão descobrindo que a realidade deles é diferente dos outros miúdos da sua idade.
Eles têm desejo de ter as mesmas coisa.. Uns ténis da marca Y umas calças da marca X coisas que dificilmente conseguem ter em casa. Começam a descobrir maneiras fáceis de as conseguir e seguem por um percurso que os torna pequenos marginais.
A culpa é da sociedade onde estão inseridos.
“Nós” formamos guetos e não damos condições sociais. É muito fácil precisar de mão-de-obra estrangeira “barata” quando temos uma ponte para fazer (Vasco da gama) quando temos uma (Expo)
E depois... Alguém se lembra que estas pessoas são seres humanos?
É tão fácil apontar o dedo à criminalidade e a bandos de arruaceiros ...
Mas somos nos próprios que os empurramos para guetos os segregamos e fazemos de conta que não existem que que eventualmente aconteça (uma desgraça) e lá estamos nós de novo prontos para apontar criticar sem por um momentos nos lembrarmos que temos consciência.. E que nunca fizemos nada para mudar essa realidade ( nós enquanto sociedade).
A história do cego que ganhou umas massas e ate fez fortuna com as esmolas já é velha.
Lembro-me de existir um senhor na estação do Rossio que tocava a tal harmónica e que na altura se falava que tinha muito dinheiro conseguido à custa das esmolas.

Mas repara... Era o trabalho dele, não tinha outro meio de subsistência era (cego) não te reportes há realidade de hoje mas de há 30 anos trás..
Se hoje um deficiente tem dificuldade em arranjar emprego e fazer uma vida normal naquele tempo era impensável.
A maioria dos ditos normais não tinha acesso à escola quanto mais um cego..
E quem é que lhes dava trabalho??? Não acho menos digno pedir pior é roubar.
Ele dentro das possibilidades que tinha sobreviveu. Se fez fortuna é ainda mais louvável é porque não o estragou.
A nossa consciência “obrigamos “ a dar esmola a um pedinte... Mas isso é alimentar a mendicidade.
Existe um provérbio chinês que diz: “Se vires alguém com fome não lhes dês o peixe mas ensina a pescar.
Divine a 15 de Julho de 2008 às 10:22

Mas é mais fácil dar umas “croas” do que tentar saber as verdadeiras causas porque é que esse pedinte está ali.
Madre Teresa de Calcutá só existiu uma
Gandhi que eu saiba também ...
Depois tivemos outras figuras que se destacaram uma das minhas preferidas é sem dúvida mark luter king mas a diante..
O facto de nós comuns mortais não nos dedicarmos a uma causa ao nível que estas pessoas se dedicaram não faz de nós piores pessoas, nem sem consciência verdade?
Estas pessoas são seres iluminados que se dão... Dedicam a vida a uma causa abdicando de uma infinidade de coisas que poucos de nós seriam capazes.

Mas podemos fazer muito mais. Quando deixarmos de olhar só par o nosso umbigo e pensarmos que consciência não é “dar um rebuçado a um miúdo quando chora” o mais importante é saber as causas porque chora..

A consciência também se aprende
O meio onde vives influencia e de que maneira...
Nos falamos de “barriga cheia” que raio de mundo é este que mais de metade da população mundial vive abaixo do limiar da pobreza não sabe ler nem escrever e nem imagina o que é uma vacina...
Falta consciência nível mundial

Desculpa o testamento e acho que já me perdi varias vezes na resposta e no tema:)

Um beijo

divine

Ps: A minha consciência obriga-me a ser solidária sem apregoar
A pensar
A se for preciso estar no terreno

Tem um excelente diaa
Divine a 15 de Julho de 2008 às 10:22

Mark Luther King
Assim é que é:)
Divine a 15 de Julho de 2008 às 10:26

Divine.
O meu comentário mereceu que gastasses o teu precioso tempo com uma tese sobre a consciência e a condição de ter direito à consciência, ou de como se forma a consciência e se é constante ou mutável de acordo com o nosso estado de espirito do momento, ou com a educação e vivências?
A essência do meu comentário tinha por base os genes. O restantes aspectos, a educação, as vivências, as elites, os guetos, a ética, são meros exemplos de generalidades, que acontecem no dia a dia e onde já fui protagonista , nem sempre consciente de ter feito a melhor abordagem.
Cheguei agora aqui e deparei-me com esta tese. Ainda não estou em mim. Vou ter que pensar bem, porque há muita coisa que concordo e outras menos.
Direi apenas sobre o provérbio chinês, que enquanto a pesssoa com fome aprende a pescar, precisa de comer...
Vou voltar breve, mas com amizade.
Um beijo

Divine.
Eu conheço é Martin Luther King. Esse que dizes quem foi?

O mesmo e garanto que com a mesma cor mas estava a pensar no "Marx"
o outro .. o Karl eu deu nisto
Divine a 16 de Julho de 2008 às 15:12

Muito sentido teu abraço... Eu li ... isto agora e precisei dele. Recebe um de mim tb.
Café com Natas a 13 de Julho de 2008 às 17:34

Ainda bem que o “abraço” apareceu na hora certa e aqui nos “ficheiros”
Obrigado pelo teu abraço também
Bem vindo/a
Boa noite

Divine a 13 de Julho de 2008 às 22:42

Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10

13
14
15
19

20
22
25
26

29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo Morto
2012

2011

2010

2009

2008

online
comentários recentes
Olá, será que me consegue explicar porque que é pe...
Olá Paula gostei muito de ler este post.Beijinhos ...
Olá doce amiga.Há um diálogo constante, dentro de ...
Divine.Em qual traseira bateu o destravadopor ment...
Divine.Que bem me sinto neste lugar! No meio da te...
E que triste que deve ser, não é? :)
Há quem viva para sempre na escuridão, sem nunca c...
Não chateias nada e existem pormenores com muita i...
Muito bom post. Muito Murakami também.Não queria c...
Divinevisita o meu blogs e se possível lê "Festa"...
eXTReMe Tracker
eu e algo mais!!
pesquisar
 
blogs SAPO