Todas as maravilhas de que precisas estão dentro de ti. A primeira e pior de todas as fraudes é enganar-se a si mesmo. Depois disto, todo o pecado é fácil.

14
Fev 12

Já muitas e muitas vezes me tinha perguntado para que é que tu serves?
Sim, para que…? Estás “invisível” e que não estivesses…!  Ninguém te vê, só eu. Ninguém te conhece, só eu. E eu aqui não sou ninguém...
E é bom não ser “ninguém “não existir, assim como tu que também não existes, és só mais um… és só tu eu.
Hoje descobri para que é que tu serves! Hoje fazes-me falta, hoje preciso de ti … Da tu companhia, que me escutes, que me deixes falar, chorar, e ou até gritar … deixa-me desabafar contigo, aquilo que não consigo dizer com palavras, que não tenho coragem de assumir...
Estou cansada, triste, desanimada, sem alento, hoje sinto-me a última das pessoas… Sinto-me a pior das idiotas perdida em mim mesma, farta , farta  de tentar carregar o mundo nas costas, falta de ser  a compreensiva, a tolerante, farta da porcaria de pessoa que me estou a tornar, hipócrita e cobarde. 
Sim cobarde, uma cobardia que me deixa sem acção sem margem de manobra… uma hipócrita que por medo de magoar os outros me está a tornar num ser vil e cheio de rancor.
Odeio ser tolerante quando no fundo acho que não devo ser… odeio deixar de falar por medo de magoar… odeio esta puta de  decisão  que  devemos ajudar sempre os mais ”fracos.”
Porra,e quando os mais “fracos” são oportunistas, interesseiros, e psicologicamente chantagistas…?
Apetece-me gritar a plenos pulmões, acordem… que a vida não é fácil para ninguém, mas não nos podemos acomodar.
Tenho medo! Pela primeira vez sinto medo, medo da vida, pelas pessoas que dependem de mim, pelas pessoas que confiam em mim, e por o que as pessoas esperam de mim…
Sinto-me perdida e sem soluções. Sinto-me uma porcaria de gente, sinto-me triste. Sinto-me uma merda de gente sem saber que rumo tomar…
(De ti meu amor, esperava mais do que” eu não te disse…”” ou sabes bem o que fazer…”
Só me restas tu, e aqui estamos tu e eu…
Agora sei para que serves, contigo sinto-me segura, não sou ninguém…

publicado por Divine às 22:28

13
Jul 09

Amanhã será um lindo dia, da mais louca alegria que se possa imaginar, amanhã, redobrada a força para cima a vontade, há-de vingar. Amanhã mais nenhum mistério, acima do ilusório. O Sol vai brilhar, amanhã a luminosidade alheia a qualquer vontade, há-de imperar. No amanhã está toda a esperança por menor que pareça.
O que existe é para festejar, amanhã apesar de hoje ser a estrada que surge, para trilhar. Amanhã mesmo que uns não queiram será o que  outros que esperam. Ver o dia raiar, amanhã ódios aplacados temores abrandados
Será pleno...

 

(há letras assim, plenas)

 

publicado por Divine às 23:03

10
Jul 09

E há os outros que avançam penosamente, e chiando como carros que transportam pedras por uma encosta a baixo: esses falam muito de dignidade e de virtude, o seu travão chamam eles virtudes!

E os outros há que são vulgares relógios, a que se deu corda: fazem um tiquetaque e querem que se chame virtude… ao tiquetaque.

Em verdade, com esses divirto-me eu: sempre que encontro relógios desses, dar-lhes-ei corda com o meu escárnio: e, ainda por cima, eles hão-de ronronar para mim!

E os outros estão orgulhosos do seu punhado de justiça e, por causa dela, cometem delitos contra todas as coisas, de modo que o mundo se afoga na sua injustiça

Ah! como a palavra” Virtude” fica mal na sua boca! E quando dizem: “ Eu sou justo”, pois soa sempre como se dissessem: “Eu sou vingador!”

Com a sua virtude, querem eles arrancar os olhos aos seus inimigos, e só se enaltecem para rebaixar os outros.

E ainda há os que estão metidos no seu pântano e que, do meio do canavial, falam assim: “Virtude…é estar quieto, metido dentro do pântano. Não mordemos em ninguém e afastamo-nos de quem queira morder, e, em todas as coisas, temos a opinião que nos dão.”

O que dizer a esses mentirosos e tolos…

Que sabeis vós da virtude? Que podeis vós saber de virtude?

 

publicado por Divine às 23:42

04
Set 08

Tal como a semente que inicia a sua vida na escuridão do solo, ou como a criança que inicia a vida na escuridão do ventre, todos os inícios são no escuro, porque a escuridão é uma das coisas mais essenciais para qualquer coisa iniciar. O inicio é mistério, dai ser necessário a escuridão. E o inicio é muito delicado; também por isso a escuridão é necessária. O inicio é igualmente muito intimo, e é também por isso que a escuridão é necessária. A escuridão tem profundidade e um enorme poder de sustento. O dia cansa-te; a noite rejuvenesce.

A manhã vai chegar, seguir-se-á o dia, mas se tiveres medo da escuridão, o dia nunca mais chegará. Se quiseres ignorar a escuridão, então o dia será impossível. Há quem atravesse a noite escura da alma para alcançar a alvorada. A morte está primeiro depois existe a vida.

Na sequência normal das coisas, o nascimento surge primeiro, e só depois a vida, mas no mundo interior, na viagem interior, é principalmente ao contrário: a morte surge primeiro, e só depois a vida.

 

publicado por Divine às 21:09

30
Ago 08

Se a estupidez humana fosse premida eu hoje ganhava o “premio Nobel”.

Consegui a proeza de sair do carro sem o travar.

Resultado: Uma amolgadela e das grandes na traseira

Ao fim de vinte e tantos anos de condução sinto-me uma verdadeira besta.

 

publicado por Divine às 18:03

27
Ago 08

Por vezes o destino é como uma pequena tempestade de areia que não pára de mudar de direcção.

Tu mudas de rumo, mas a tempestade de areia vai atrás de ti. Voltas a mudar de direcção, mas a tempestade persegue-te, seguindo no teu encalço.

Isto acontece uma vez e outra e outra, como uma espécie de dança maldita com a morte ao amanhecer.

Porquê? Porque esta tempestade não é uma coisa que tenha surgido do nada, sem nada que ver contigo.Esta tempestade és tu. Algo que está dentro de ti.

Por isso, só te resta deixares-te levar, mergulhar na tempestade, fechando os olhos e tapando os ouvidos para não deixar entrar a areia e, passo a passo, atravessá-la de uma ponta a outra.

Aqui não há lugar para o sol nem para a lua; a orientação e a noção de tempo são coisas que não fazem sentido.

Existe apenas areia branca e fina, como ossos pulverizados, a rodopiar em direcção ao céu. É uma tempestade de areia assim que deves imaginar. (...) E não há maneira de escapar à violência da tempestade, a essa tempestade metafísica, simbólica.

Não te iludas: por mais metafísica e simbólica que seja, rasgar-te-á a carne como mil navalhas de barba.

O sangue de muita gente correrá, e o teu juntamente com ele. Um sangue vermelho, quente. Ficarás com as mãos cheias de sangue, do teu sangue e do sangue dos outros.
E quando a tempestade tiver passado, mal te lembrarás de ter conseguido atravessá-la, de ter conseguido sobreviver. Nem sequer terás a certeza de a tormenta ter realmente chegado ao fim. Mas uma coisa é certa.

Quando saíres da tempestade já não serás a mesma pessoa. Só assim as tempestades fazem sentido.

Devo ter sito das últimas pessoas a ler este livro : De- Haruki Murakami, in 'Kafka à Beira-Mar'
"mas recomendo: Absolutamente fantástico com sessentas e algumas paginas que se lêem num ápice .

publicado por Divine às 21:32

13
Ago 08

F

     É

          R

               I

                    A

                         S

 

publicado por Divine às 22:00

03
Ago 08

Era uma segunda-feira de um qualquer mês de Maio.

O dia amanheceu chuvoso e estava frio.

Eu lembro-me que tive “medo” e de pensar eu não sou capaz.
- O dia não estava chuvoso. Caia umas pingas.
- Não, estava mesmo a chover muito.
-Nervos... Os nervos é que te fizeram esquecer, apenas caiam umas pingas..
- Pronto que seja , caiam umas pingas.
Eu sabia que tinha que o fazer, mas o meu receio não ajudava em nada. Mas como disso dependia uma parte da minha vida eu fui.

- Não sei de onde me bem este medo questionei-me em voz alta.
 Uma voz respondeu

- Porque. Só dependes de ti própria.
Assustada, olhei a volta porque estava sozinha, ou pelo menos julgava que estava..

- Quem foi que falou?  E já não era a primeira vez... devo estar maluca.
-Tu própria disse a "voz" em resposta ao meu pensamento.
A voz parecia provir de mim própria. Será possível??
- Sim é possível é possível, eu sou o teu verdadeiro (eu).
-O meu Eu??

- O meu verdadeiro eu sou EU.

Mas  que conversa mais estupida..pensei.
-Olha para ti.... A voz denotava um certo desprezo

– Pareces uma miúda assustada a tremelicar por todos os lados.

- Tanta produção para que?? se neste momentos estás com

medo até de atravessar a rua.

- Se tu dizes que és o teu verdadeiro eu acho que estamos as duas em maus lençóis.
-Ouve-me tu a mim (eu ou voz ou sejas o que fores). Vivi estes anos todos sem ouvir a tua voz agora é que te deu para apareceres?

-Porque não te manifestas-te antes?

" só posso estar maluca para falar sozinha"
-Há anos que ando por perto mas está é a primeira vez que estas completamente desassossegada para me poderes ouvir.

- Porque é que sentes medo?

-Porque não sou capaz… Se dizes que és "eu" devias saber.

-Como é que sabes que não és capaz? O teu medo é que te impede de ir em frente..

-Não me chateies, ok e sai do meu “caminho”

- Que ousadia para uma medrosa… vamos supor então que eu sou o teu “medo”

-Então o que fazes aqui?

-Ocorre-te um melhor lugar para eu viver que não em ti? (respondeu a voz).

Reconheceu que realmente medo e duvida eram sem duvida os sentimentos o que se tinham apoderado dela, ou estavam na imaginação..

O “voz"  começou de novo:

- Estou aqui para derrubar todos aqueles que estão convencidos que me podem vencer…

- Eu já não vou..

- Ah ah ah ria-se a voz. Vais desistir agora que estas tão perto?

-Vais  desistir agora que chegas-te a este ponto?

Não sei, habituei-me a alguns pequenos luxos como por exemplo não fazer figura de parva..

- E como podes viver contigo própria se não tens coragem e a ousadia de testar o conhecimento de ti própria?

- E achas que o conhecimento de mim própria pode matar o medo?

- Com certeza, o conhecimento é a verdade e sabes que a verdade é a mais poderosa das armas. Acertar e errar faz parte da vida.

De repente ocorreu-lhe que não tinha nada a perder nem tinha que provar nada a ninguém e avançou segura.

-Lembra-te, o medo é apenas uma ilusão.

-Então não voltas para traz? Disse a voz

Mas ela continuava decidida a pensar dar o seu melhor.. Ganhar e perder faz parte da vida e o medo e a dúvida são só ilusões.

 

publicado por Divine às 18:15
tags: , , ,

30
Jul 08

Há um pedaço de alma perdido no fundo da minha sala.
Há um pedaço de mim que se desprendeu e voou. Pequenos momentos em que me perco em pormenores.

A revolta do que podia ser e não é. Do que poderia ter sido e não foi.

Deixa-te de merdas ninguém é tão santinho assim...

Hoje apetece-me gritar, gritar só para eu ouvir... Fo** também tenho esse direito ou não?

E se tudo o que nos sai é nada, será que isso quer dizer que estamos cheios de nada...?
Há um tempo para tudo. O tempo para o lamento. Um tempo para o tormento. Um tempo para o amor, para o desejo um tempo, Um tempo...  Que vem num repente, assim, lento, de mansinho e como o vento leva-nos para outras paragens.

Onde buscamos tudo de bom e de mau. Onde nem o vento se demora, paragens onde o tempo não pára onde só restam recordações.
E pensar que o mundo corre lá fora. E  que eu aqui dentro... O que tenho eu?

Pouco mais que nada. Tenho que um olhar distorcido  sobre as coisas que não consigo esquecer.
Não, não há nada de novo...
Gostava de perceber que mecanismo é esse que de repente desata em mim, estes estúpidos lamentos e me trazem verdadeiros pensamentos de “merda”, que me tocam. Gostava de percebê-lo simplesmente para deles me poder apropriar.
Gostava de comandá-los, tê-los à minha ordem, à minha voz de comando. Infelizmente não tenho a capacidade de ser perfeita

publicado por Divine às 16:44

28
Jul 08

Estou nua caminho por uma rua cheia de gente, ninguém me nota nem reparo em ninguém .
Cruzo-me contigo, estou nua e dai...
Olho-te, não te conheço mas não sinto embaraço, mal me apercebo da minha nudez.
És um desconhecido, que importa..
Sorrio-te!
Dás-me a mão, seguimos em silêncio, sem destino
Esta noite és tu o meu caminho
Se escuto, só oiço o  teu rumor, de mim nem sinal, estou e não estou.
Gosto do som do nosso silêncio.
Não estou no teu  tempo e nem no teu espaço  é espontâneo
Olhas para mim...perguntas-me quem sou, e o que faço aqui.
Deixo que os pensamentos tomem conta de meu ser, de olhos arregalados por não entender como isso foi acontecer...
Estou nua...
Só agora reparo...
Não te quero falar de mim, não me vou expor..mostrar a minha alma.
Falar de mim é ter a noção que estou nua.
Corro...quero sair dali, toda as pessoas a minha volta esperam.. olham...
Querem ver quem eu sou, uma alma nua
Corro como se o meu  ser ganhasse asas, e  conseguisse voar para qualquer lugar do universo...

 

publicado por Divine às 22:26

Fevereiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29


subscrever feeds
Arquivo Morto
2012

2011

2010

2009

2008

online
comentários recentes
Olá, será que me consegue explicar porque que é pe...
Olá Paula gostei muito de ler este post.Beijinhos ...
Olá doce amiga.Há um diálogo constante, dentro de ...
Divine.Em qual traseira bateu o destravadopor ment...
Divine.Que bem me sinto neste lugar! No meio da te...
E que triste que deve ser, não é? :)
Há quem viva para sempre na escuridão, sem nunca c...
Não chateias nada e existem pormenores com muita i...
Muito bom post. Muito Murakami também.Não queria c...
Divinevisita o meu blogs e se possível lê "Festa"...
eXTReMe Tracker
eu e algo mais!!
pesquisar
 
blogs SAPO